Pênaltis: o trauma do Junior na Sul-Americana

No empate com o Atlético-PR, no primeiro jogo da final, time colombiano desperdiçou uma cobrança de penalidade pela segunda vez seguida no torneio

O empate em 1 a 1 entre Junior e Atlético-PR na primeira partida da final da CONMEBOL Sul-Americana, na última quarta-feira (5), em Barranquilla, deixou aberta a disputa pelo título. Mas, para o time colombiano, o resultado poderia ter sido mais favorável. Isso porque os Tubarões desperdiçaram uma cobrança de pênalti que poderia ter mudado o panorama do confronto para o jogo de volta, em Curitiba.

No segundo tempo, Gutierrez tentou o drible na entrada da área e foi derrubado por Rony. O árbitro peruano Diego Haro marcou a penalidade, e coube a Rafael Pérez tentar virar o placar para o time da casa. Aos 27 minutos, o zagueiro chutou com muita força, mas a bola carimbou o travessão do goleiro Santos. Assista ao lance:

Foi a segunda vez consecutiva nesta Sul-Americana que o Junior não converteu uma cobrança de pênalti. No jogo de volta da semifinal contra o Santa Fé, vencido por 1 a 0, o meia James Sanchéz bateu, mas parou nas mãos do goleiro Solís.

O próximo confronto entre Atlético-PR e Junior será na Arena da Baixada, em Curitiba. Como não há o gol qualificado, o vencedor ficará com a taça da CONMEBOL Sul-Americana, seja qual for o placar.

Em caso de empate no tempo normal, o jogo irá à prorrogação. Se a igualdade persistir, penalidades. Tudo o que o torcedor colombiano não quer, levando em conta o recente retrospecto da equipe na marca da cal.

Assista aos melhores momentos de Junior 1 x Atlético-PR:

Fechar