Paixão e fé! A torcida do Colón encara mais de 800km e invade Assunção para a final da Sul-Americana

Êxodo Sabalero deve levar mais de 30 mil fanáticos pela equipe de Santa Fe à capital do Paraguai, sede da final da Copa neste sábado, contra o Independiente del Valle

A paixão por uma #GrandeConquista! Fé, de quem nasceu em Santa Fe, ao norte da Argentina, e sonha com o título da CONMEBOL Sul-Americana, na maior final da história do clube. Com tais sentimentos, o Êxodo Sabalero, demoninação dada pela própria entidade, começou: mais de 30 mil "hinchas" do Colón devem cruzar a fronteira com o Paraguai para a decisão deste sábado, contra o Independiente del Valle , na Nueva Olla, em Assunção .

Os sabaleros, como são conhecidos, começaram a deixar a terra natal na quarta-feira. O pico de torcedores chegando ao Paraguai por terra, calculam as autoridades, seria no fim da tarde de sexta. Idades diferentes, histórias diferentes, perrengues distintos num trajeto de 870km, mas há algo em comum entre os milhares: o amor pelo Colón. Um taxista de 57 parou de trabalhar na quarta e começou a dirigir rumo à final. Bebês, crianças e idosos se misturavam entre milhares.

"Colón não se explica", resumiu, emocionado, o garoto Facundo, de 16 anos, acompanhando da mãe Mariana, em Puerto Falcón, do lado paraguaio, fronteira com a cidade de Clorinda, na Argentina. O caminho da família começou às 12h de quinta, com uma pausa na madrugada para dormir, e terminou às 13h de sexta.

"Foi uma coisa impressionante, pela quantidade de gente que está em todo lado. Colón é assim, é alegria. Não importa ganhar ou perder, não tem problema. Só importam as cores", declarou o garoto.

Torcida Colón Paraguai

O carro deles é um entre 5 mil que partiram em busca do sonho, junto de mais de 300 ônibus. A fila para cruzar o rio que divide os países bateu cerca de 24km, por volta das 12h de sexta-feira. Todos debaixo de um calor de quase 40 graus, capaz de esquentar os pés mesmo com a proteção da sola do sapato que toca o asfalto. Muitos cruzaram a ponte, outros se amontoaram em balsas. 

Carros falharam e terminaram o trajeto sendo empurrados pelos fanáticos. Estima-se custo de R$ 400 de combustível no trajeto. Problema? Alegria no rosto e cantos na ponta da língua como quem aguarda ansioso o momento de empurrar o Colón na arquibancada da Nueva Olla. "No campo do Cerro, nós vamos ganhar! E a volta nós vamos dar!", diz a música que se ouve em vários pontos de Assunção.

Não há mau humor. Todos cantavam e sorriam na fronteira, apesar de exaustos com a longa viagem e estressante espera para entrada no Paraguai. Não é nada para quem esperou 114 anos por uma final internacional. "A cidade que ficou pequena para nós agora representa um país", diz a frase estampada na camisa que a sabelera exibe com orgulho. Veja aqui mais belas imagens da festa argentina na fronteira.

Torcida Colón Paraguai

Fechar