Menos badalado, Gustavo estreia na Sul-Americana com gol e vira referência no Corinthians

Artilheiro do Timão em 2019, atacante desbanca nomes como Vagner Love e Boselli e vira herói alvinegro no empate com o Racing com gol no fim

Seria até injusto classificar Gustavo como um "herói improvável" apenas por ter evitado que o Corinthians estreasse com derrota na Copa CONMEBOL Sul-Americana. O gol marcado aos 88 minutos, de cabeça, a especialidade do centroavante de 24 anos e 1,89m de altura, decretou o empate por 1 a 1 com o Racing e simbolizou a rapida mudança de status do jogador em um elenco com atacantes tarimbados, como Vagner Love e o argentino Mauro Boselli.

Menos badalado e sem experiência internacional, já que foi a estreia dele em torneios CONMEBOL, Gustavo ganhou a preferência do técnico Fábio Carille e tomou conta do ataque em 2019. Já são seis gols em nove partidas, mantendo o alto nível da temporada passada, quando foi à rede 30 vezes em 45 jogos pelo Fortaleza e se sagrou campeão brasileiro da Série B como o maior artilheiro do país.

Contra o Racing, o camisa 19 foi o ponto de referência de um Corinthians carente de inspiração. No primeiro tempo, Gustavo deixou Vagner Love na cara do gol (e ele chutou em cima de Arías) e escorou uma cobrança de falta alçada na área, mas parou no goleiro rival. 

O alvo seguiu o mesmo até quando Carille trocou jogadores e passou a pressionar mais o Racing no segundo tempo. Dentro da área, Gustavo sobrou e retribuiu a confiança com o gol nos instantes finais, que deixou o Corinthians em situação menos desconfortável para o jogo de volta, dia 27 de fevereiro, em Avellaneda. Basta um empate com gol ou uma vitória para o Timão se classificar à segunda fase da Sul-Americana.

"Confiança é tudo mesmo. Se pegar a minha leitura labial no lance, falei para o Henrique e para o Manoel puxarem ali e abrir aquele espaço que eu ia fazer o gol", destacou o atacante. 

É uma mudança de status porque Gustagol, como os corintianos agora preferem chamá-lo, demorou para se firmar no clube. Chegou em 2016, vindo do Criciúma, mas não deixou saudade em nove jogos com a camisa alvinegra. No ano seguinte, defendeu Bahia e Goiás por empréstimo, sem empolgar. O sucesso pelo Fortaleza foi fundamental para recuperar a confiança e mostrar qualidade em seu retorno ao Timão.

"Procurei aprender e treinar bastante depois que sai daqui na primeira passagem. Queria agradecer ao professor Carille pela confiança, a toda diretoria e os meus companheiros que estão me dando todo o suporte para entrar no campo e fazer o que venho fazendo", afirmou.

Fechar