João Pedro marca 3 e comanda goleada do Fluminense sobre o Atlético Nacional pela Fase 2 da CONMEBOL Sul-Americana

Atacante de 17 anos ainda deu uma assistência no Maracanã, e Tricolor perdeu uma penalidade no primeiro tempo

Com um primeiro tempo avassalador, em que marcou quatro gols em 33 minutos e ainda desperdiçou um pênalti, o Fluminense goleou o Atlético Nacional por 4 a 1, na noite desta quinta-feira (23),  no Maracanã, no jogo de ida pela Fase 2 da CONMEBOL Sul-Americana - confira detalhes e números do confronto

A vitalidade ofensiva do Tricolor na partida pode ser resumida pela atuação do atacante João Pedro, de apenas 17 anos, que marcou três gols e ainda deu uma assistência para Luciano. Yony González teve a chance de ampliar, mas o goleiro Cuadrado defendeu a penalidade. Tudo isso antes do intervalo. 

Cobrando pênalti, Hernán Barcos, maior artilheiro da história da Sul-Americana, descontou para o Nacional e marcou pela 18ª vez no torneio.

A partida de volta será no dia 29 de maio, às 21h30 (de Brasília), em Medellín. O resultado permite ao Flu perder por até dois gols de diferença na Colômbia para avançar na competição. Ao Nacional resta vencer por três ou mais tentos de vantagem no placar. Quem passar pelo confronto pegará Deportivo Cali ou Peñarol nas oitavas de final.

A qualidade na troca de passes implantada pelo técnico Fernando Diniz foi crucial para o Tricolor encontrar espaços na defesa colombiana, e nessa situação prevaleceu o talento do garoto João Pedro.

Aos três minutos, o atacante aproveitou o cruzamento de González e abriu o placar, de cabeça. Aos 8, ele recebeu passe de Daniel nas costas da defesa rival e tocou na saída de Cuadrado. Depois foi a vez de ser garçom, aos 18, servindo para Luciano anotar o terceiro.

Para completar o primeiro tempo de gala, João Pedro pegou o rebote da própria finalização que bateu na trave e marcou o quarto do Fluminense, aos 33 minutos.

O Tricolor manteve o domínio da partida no segundo tempo e chegava ao ataque sem dificuldades, diante de um adversário rendido no Maracanã. Com a bola nos pés, bastou tocá-la e fazer o tempo passar para sacramentar a vitória incontestável.

Fechar